Aprovação da PEC 55:   Revolta popular contra Temer e o Congresso corruptos e contra o truculento cerco policial militar  

dez 16th, 2016 | By | Category: Liga Operária

 

A revolta popular tomou o centro de Brasília no dia 13 de dezembro/2016, dia em que o corrupto e podre Congresso Nacional seguindo as diretrizes do corrupto gerenciamento de Temer e de sua quadrilha mudou a Constituição de 1988 para aprovar o “ajuste fiscal” exigido pelo FMI. Uma massa de jovens e de trabalhadores enfrentou o truculento aparato de tropas policiais militares que ocuparam o podre Congresso Nacional, fizeram barreiras, impediam a entrada de manifestantes  e mantinham sob cerco toda a esplanada dos Ministérios desde a madrugada como garantia para os corruptos senadores aprovarem a maldita Proposta de Emenda a Constitucional, a PEC 55, que impõem o teto de investimentos públicos por vinte anos em setores essenciais para a população, arrocha salários dos servidores públicos e assegura a prioridade absoluta ao pagamento dos ilegítimos e abusivos juros ao parasitário capital financeiro.

Houve manobra dos corruptos senadores até no horário da votação da PEC, feita na parte da manhã e não no horário da tarde como estava previsto. Os senadores ditos de “oposição” se reduziram a lamentar a aprovação e participaram de todo o teatro de homologação dos interesses imperialistas no país.

Mesmo com um número menor de manifestantes devido a desmobilização articulada pelas cúpulas das centrais sindicais e partidos eleitoreiros aos quais são vinculadas, a “plebe rude” não se intimidou com o imenso e truculento aparato policial e desfraldou suas bandeiras, palavras de ordem e reagiu com paus e pedras aos tiros e bombas disparados pela polícia. Não havia uma grande multidão como no dia 29/11/16, quando ocorreu a votação em primeiro turno, devido ao grande acordão feito nos bastidores para assegurar a votação da maléfica proposta, com a cúpula das centrais sindicais decidindo não fazer uma manifestação de protesto unificada e sim dispersá-la em atos regionais e não jogar nenhum peso em caravanas para Brasília nesse dia 13.

Mesmo assim, cerca de dois mil jovens, trabalhadores e sindicalistas de base estiveram no dia 13/12 em Brasília para enfrentar a truculência do governo e suas assassinas tropas policiais, derrotando as manobras das cúpulas traidoras dos partidos eleitoreiros e das centrais sindicais. Aos gritos de “Ir ao combate sem temer, Ousar lutar, Ousar Vencer!”, a juventude combatente enfrentou a ira dos covardes policiais que armados até os dentes disparavam bombas explosivas, de gás lacrimogêneo e jatos de gás de pimenta contra os manifestantes.

O truculento sistema de segurança montado no Distrito Federal para aprovação da PEC pelo Senado corrupto contou com cerca de cinco mil policias militares e civis, bombeiros e agentes de trânsito. Toda a área central de Brasília também era monitorada em tempo real pelas câmeras de segurança ligadas à Central Integrada de Comando e Controle Regional (CICCR) que funcionou como ponto de coordenação de todas as ações de agressão a população perpetradas durante o protesto. Participaram também 20 órgãos locais e federais, como Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Agência de Fiscalização (Agefis), Comando Militar do Planalto do Exército Brasileiro, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Polícia Federal, entre outros.

1058441-13122016-dsc_2814

Policiais lançam bombas contra a manifestação contra a abusiva PEC 55

A barreira policial montada próxima ao Museu Nacional, a cerca de um quilômetro de onde acontecia a votação, proibia o grupo de passar com carros de som, bandeiras e faixas de protesto. Sem que os manifestantes pudessem chegar ao Congresso, a policia provocou um impasse que culminou atacando com golpes de cassetete, spray de pimenta, bombas de gás lacrimogêneo, explosivas e disparos de balas de elastômero. A tropa de choque avançou sobre a manifestação na rodoviária, lançando bomba e bala de borracha contra a população. Inclusive em quem estava em cima da passarela. Até jornalistas foram agredidos e impedidos de utilizar máscara contra gás e outros equipamentos básicos de proteção.

Brasília - Policiais e manifestantes entram em confronto na Esplanada dos Ministérios  durante protesto contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos Públicos (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília – Policiais investem contra os manifestantes na Esplanada dos Ministérios durante protesto contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos Públicos (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A revolta da população foi grande e vidraças de bancos foram quebradas, diversos ônibus do precário e monopolizado sistema de transporte da cidade tiveram parabrisas e vidros quebrados e um ônibus foi incendiado na via S2. Contêiner,  lixeiras e cavaletes da PM também foram queimados próximo à Rodoviária do Entorno como barricadas para dificultar o avanço das forças repressivas e os ataques que desferiam contra a população. A polícia arbitrariamente efetuou mais de cem prisões de pessoas do povo, mantendo ilesos os corruptos senadores, outros políticos e empresários igualmente corruptos, mostrando muito bem a quem serve de instrumento de opressão.

Brasília - Policiais e manifestantes entram em confronto na Esplanada dos Ministérios  durante protesto contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos Públicos (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília – Policiais lançam gás de pimenta contra os manifestantes (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília - Policiais e manifestantes entram em confronto na Esplanada dos Ministérios  durante protesto contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos Públicos (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília - Policiais e manifestantes entram em confronto na Esplanada dos Ministérios  durante protesto contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos Públicos (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília – Policiais investem contra manifestantes na Esplanada dos Ministérios e levam o troco (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília - Policiais e manifestantes entram em confronto na Esplanada dos Ministérios  durante protesto contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos Públicos (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília – Policiais investem contra manifestantes na Esplanada dos Ministérios e levam o troco (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

protesto-policial-ferido

Brasília – Policiais investem contra manifestantes na Esplanada dos Ministérios e levam o troco (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília - Policiais e manifestantes entram em confronto na Esplanada dos Ministérios  durante protesto contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos Públicos (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília – Manifestante devolve a bomba de gás da repressão policial militar  (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília - Policiais e manifestantes entram em confronto na Esplanada dos Ministérios  durante protesto contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos Públicos (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Brasília – Ousar lutar, ousar vencer (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Bandido e corrupto Temer comemorou mas está com os dias contados

O canalha e bandido Temer após a votação ainda comemorou e atribuiu aprovação da PEC do teto de gastos à (sic.)“competência” do Congresso. Como lambe-botas de plantão do FMI o bandido Temer acredita que isso credencia a continuidade de sua quadrilha no gerenciamento do podre e genocida Estado brasileiro.

Na realidade, o “ajuste fiscal” da PEC 55 transfere recursos dos trabalhadores para mercado financeiro.  No orçamento de 2017 aprovado dia 15/12 pelo podre e corrupto Congresso, são fixados os gastos federais em R$ 3,5 trilhões no próximo ano. A despesa com juros e amortização da ilegítima e abusiva dívida pública consome mais da metade do dito orçamento e equivale a R$ 1,7 trilhão; já para a Seguridade Social é somente R$ 58,3 bilhões. O Congresso é tão venal que o líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), fechou um acordo com os demais líderes para votar a proposta orçamentária sem obstruções.

À serviço dos banqueiros e grandes grupos econômicos, a quadrilha de Temer arrocha a população pobre e continua com os privilégios dos ricaços, praticando o pagamento abusivo dos juros da dívida ilegitima, incentivando as desonerações tributarias, a sonegação fiscal da grandes empresas e ainda quer impor a contrarreforma da Previdência Social e o corte de todos direitos trabalhistas. Soma-se, ainda, a crescente e elevadíssima concentração de terra, com mais da metade de todo o território rural concentrado em menos de 1% do total das propriedades existentes, com expansão do atrasado sistema latifúndiário e diminuição das pequenas propriedades rurais.

Derrotar Temer e sua quadrilha com a construção e deflagração da GREVE GERAL

11112941_829668657081912_4670466592468025536_n-e1430777949916

A partir da forte organização dos trabalhadores nas bases, nos locais de trabalho e moradia, vai ser possível organizar a revolta latente nos corações dos operários e tornar possível a deflagração de uma vigorosa Greve Geral para enfrentar e derrotar a politica antipovo de Temer e sua quadrilha.

Organizar com vigor a deflagração da GREVE GERAL!!!

Para lutar contra as antioperárias “reformas” da Previdência e todos ataques à Nação e aos direitos do Povo, a Liga Operária propõem um Plano de Unidade de Ação, baseado em:

1 – Atitude de nenhuma negociação e nenhum compromisso com o governo e parlamento podres.

2 – Realização de ampla campanha de denúncia e esclarecimento sobre o lesivo conteúdo destas “reformas”, bem como, de toda política imperialista no país, na América Latina e no mundo.

3 – Preparação da Greve Geral através de iniciativas que liguem o seu apelo e propaganda a ações específicas locais e regionais, tais como, campanhas salariais, atos, passeatas, manifestações de protesto, cortes de rodovias e ocupações de prédios públicos.

4 – Integrar a todas estas atividades a propaganda e divulgação da Luta Pela Terra e apoiar materialmente o movimento de lutas no campo.

Preparar a deflagração de uma vigorosa GREVE GERAL para barrar a Reforma da Previdência e derrotar os ataques do Governo!

Abaixo a conciliação das cúpulas das centrais sindicais traidoras, os conluios palacianos e os ataques aos parcos direitos que os trabalhadores ainda tem!

Fora Temer e sua quadrilha!

LIGA OPERÁRIA

Brasília, 15/dezembro de 2016.

 

Comments are closed.