A mando do FMI, Temer, Meirelles e quadrilha destroem a Previdência dos Trabalhadores. PREPARAR A GREVE GERAL!

dez 12th, 2016 | By | Category: Destaque, Liga Operária

 

Testa-de-ferro e entreguista Meirelles (esq.) bajula a vampira Lagarde durante encontro do FMI e Banco Mundial em Washington -YURI GRIPAS / REUTERS

Testa-de-ferro e entreguista Meirelles (esq.) bajula a vampira Lagarde durante encontro do FMI e Banco Mundial em Washington -YURI GRIPAS / REUTERS

As aposentadorias, pensões e demais direitos previdenciários dos trabalhadores e seus familiares estão na mira de serem surrupiados e destruídos pela contrarreforma de Temer e sua quadrilha. A contrarreforma é uma imposição dos vorazes interesses do parasitário e decadente sistema financeiro. O Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial e conglomerados financeiros e de previdência privada exigem “a promoção de ajustes e reformas” para garantir mais roubo dos trabalhadores e dos recursos destinados a Seguridade Social (Saúde, Previdência e Assistência Social).

 O testa-de-ferro, banqueiro, membro do FMI e ocupante do ministério da fazenda, Henrique Meirelles, no início do mês de outubro, compareceu a reunião anual do FMI e do Banco Mundial, em Washington, Estados Unidos, e se encontrou com Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI. Demonstrando a interferência política do FMI, Lagarde louvou a PEC do teto dos gastos e a reforma da Previdência. A vampira disse, após um encontro privado com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles, que estas medidas podem “ancorar o retorno ao crescimento forte, sustentável e inclusivo no Brasil”, ou seja, um discurso de exaltação de falso crescimento para aprofundar a dominação, o saque dos recursos e a desigualdade no país.

“Nós discutimos os planos de reforma das autoridades brasileiras para o setor fiscal, incluindo a emenda constitucional para limitar o crescimento dos gastos do governo e a planejada reforma da previdência social”, afirmou Lagarde, em nota.

O vende-pátria atual ministro da Fazenda também emitiu um posicionamento após o encontro, dizendo que a reunião foi “muito produtiva” e que nela foram abordados os fatores mais importantes da economia brasileira. Henrique de Campos Meirelles desde a década de 1970 é vinculado ao BankBoston, e foi vice presidente para a área internacional do banco. Presidente do Banco Central durante o governo Lula, presidia o Conselho de Administração da J&F Investimentos, holding que controla a empresa de alimentos JBS, e participava do Conselho da Azul Linhas Aéreas, Banco Original, Alpargatas, entre outros, com uma remuneração anual de até 40 milhões de reais.

“Expressamos a concordância entre a avaliação do FMI e o diagnóstico do governo sobre a economia, base para as reformas estruturais que estão sendo e serão propostas ao Congresso”, disse o lambe-botas Meirelles, também em nota.

 O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, como instrumentos de imposição da política imperialista, atuam pela aprovação das PEC 55 (PEC da garantia do pagamento dos aviltantes juros da dívida interna e externa através do arrocho salarial, cortes de investimentos em saúde, educação etc.) e PEC 287 (PEC da propagação da previdência privada e destruição da previdência pública).

 O que assumimos em nossa previsão para 2017 é que o limite de gastos proposto será aprovado pelo Congresso em breve, e também assumimos que haverá algum tipo de reforma da Previdência, o que faz com que o limite de gastos viável. Se estas duas reformas passarem, acreditamos que o recente incremento na confiança vai ganhar um novo impulso, que por sua vez catalisar mais investimento estrangeiro e crescimentoafirmou na ocasião, descaradamente, Krishna Srinivasan, diretor assistente do Hemisfério Ocidental do FMI, durante entrevista coletiva em Washington sobre “Previsões para o Brasil”, dia 7 de outubro passado.

 Outro membro da quadrilha de Temer e envolvido até o pescoço com os banqueiros é o secretário da Previdência, Marcelo Caetano, que realizou diversas reuniões com os principais interlocutores do governo Temer para a elaboração da reforma: bancos, fundos de pensão, associações patronais e grandes empresas financeiras estrangeiras. Entre seus compromissos como “secretário da Previdência” estão reuniões com representantes da Gap Asset Management, BBM, confederações patronais, Bradesco, Standard &Poor’s, Fundo Monetário Internacional (FMI) e Fiesp. A lista completa de suas articulações espúrias, desde que assumiu, está abaixo e foi levantada por Denise Lobato Gentil, professora da UFRJ e pesquisadora do tema, “com a angústia de quem descobriu que trabalhará até 80 anos caso a reforma da Previdência seja aprovada”.

marcelo-caetano

Vassalo e vende-pátria Marcelo Caetano à serviço da privatização da previdência

Quanto pior, mais restritivo e excludente for o sistema público de seguridade social, maiores as oportunidades dos interlocutores prioritários do secretário venderem seus planos privados de Previdência. Veja a lista abaixo das reuniões para negociatas espúrias de um dos principais articuladores da contrarreforma proposta pela quadrilha de Temer e Meirelles:

29/07/16 – Reunião com representantes da Gap Asset Management

01/08/16 – Reunião com representante do Banco BBM

05/08/16 – Reunião com confederações patronais

08/08/16 – Reunião com representantes da Confederação Nacional das Empresas de Seguros      

                  Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg)

12/08/16 – Reunião Ordinária do Conselho Nacional dos Dirigentes de Regimes Próprios de

                  Previdência Social (Conaprev)

18/08/16 – Reunião Ordinária do Conselho Nacional dos Dirigentes de Regimes Próprios de

                  Previdência Social (Conaprev); reunião com representantes da Confederação Nacional

                 da Indústria (CNI)

30/08/16 – Reunião com representantes do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC)

31/08/16 – Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC)

01/09/16 – Reunião do Conselho de Administração da Brasilprev

06/09/16 – Reunião com representantes do Bradesco

13/09/16 – Reunião com representantes da JP Morgan Private Bank

20/09/16 – Reunião com representantes da Fitch Ratings

21/09/16 – Reunião com representantes do Banco Santander

22/09/16 – Reunião com representantes do Fundo Monetário Internacional (FMI)

27/09/16 – Reunião com representantes do Fórum das Empresas Transnacionais (FET); reunião

                  com representantes do Bradesco e da Wellington Management

29/09/16 – Reunião com investidores da PIMCO

06/10/16 – Reunião com representantes do MBL

21/10/16 – Reunião com representantes da Fiesp; Teleconferência com representantes do Bradesco

                 BBI

25/10/16 – Reunião com representantes da Standard &Poor’s

23/11/16 – Reunião com representantes XP Investimentos

30/11/16 – Reunião com representantes do JP Morgan Private Bank

05/12/16 – Debate sobre Reforma da Previdência com representantes das Centrais Sindicais

A necessidade urgente de reformar a previdência no Brasil” afirma o FMI em documento publicado dia 1° de dezembro, assinado por Alfredo Cuevas, chefe da missão do Brasil e a economista IzabelaKarpowicz.

Sob a falácia de que a Previdência no Brasil é financeiramente insustentável,estipulam, como única alternativa, a reforma do sistema. Descaradamente, argumentam que as reformas das décadas de 1980 e 1990 foram parciais e que é urgente uma reforma que:

– deve abranger o RGPS e o RPPS, como forma de reduzir os benefícios;

– Revisão dos critérios para aposentadoria com aumento da idade mínima;

– Impedimento aacumulação de benefícios ao longo da vida ativa dos participantes;

– Eliminar o vínculo entre as pensões e o salário mínimo;

– Reverter as isenções tributárias sobre a folha de pagamentos;

– Retirar a cobertura previdenciária dos mais pobres e fazer o atendimento via programas sociais.

Revelando que a preocupação do FMI é conter os “gastos primários” e assegurar a drenagem dos recursos do Brasil, os agentes do FMI propalavam que “é essencial começar já” a reforma da previdência. Sob as ordens do FMI e Banco Mundial, o lacaio governo Temer e sua quadrilha apresentou no dia 06 de dezembro, a proposta de ataques aos direitos previdenciários dos trabalhadores brasileiros seguindo caninamente as determinações do capital financeiro.

No dia 13/12, o entreguista ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, participa de encontro empresarial da Amcham Brasil (Câmara Americana de Comércio). O tema do evento é “O Que Esperar da Economia Brasileira em 2017?”. A Câmara Americana de Comércio (Amcham) e o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) assinaram na quarta-feira (7/12), em Brasília, acordo de entendimento para ampliar o protecionismo dos ianques e priorizar ainda mais os escusos interesses do USA.

Nenhuma negociação com o governo antipovo. Abaixo a conciliação com Temer e sua quadrilha

O corrupto deputado Alceu Moreira (PMDB) escolhido relator da reforma da Previdência na Câmara, classificou como “vagabundo remunerado” o segurado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Esse pilantra se autointitulou “The Flash” por dar parecer favorável a maldita contrarreforma da Previdência em menos de 24 horas após o protocolo do projeto. O canalha recebeu R$50 mil em doações pessoais do presidente Michel Temer para sua campanha de 2014, registrados no TSE; e foi pego pedindo propina quando era presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Em conversa gravada com um empreiteiro, o “The Flash da contrarreforma” diz: “Tem que chover na minha horta, neguinho'”.

Com açodamento e na semana em que a Câmara encerra os trabalhos legislativos, a manipulada “Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)” marcou para a segunda-feira (12/12) sessão para leitura e discussão do parecer do deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), sem nenhuma discussão com a sociedade, e o presidente do corrupto colegiado, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), quer votar o parecer até quarta-feira (14).

Os ataques aos parcos direitos previdenciários tem que ser radicalmente rechaçados. Nenhuma conciliação, nenhuma negociação com “MT”, “Botafogo”, “Primo”, “Babel”, “Angorá”, “The Flash”, “Mineirinho”, “Cheirador”, “Justiça”, “Boca-Mole”, “Passivo”, “Todo Feio”, “Ferrari”, “Feia”, “Las Vegas” ou qualquer outro membro da quadrilha instalada no governo imoral e ilegítimo.


lista-grande

20160324074012

Os corruptos membros da quadrilha querem acabar com a aposentadoria dos trabalhadores, mas eles, em sua maioria, já estão aposentados, como o próprio presidente Michel Temer, Geddel Vieira Lima (ex-ministro de Governo), Eliseu Padrilha (Casa Civil) etc. O latifundiário Geddel se aposentou aos 51 anos, em 2011, e sem falar nas milionárias propinas, nos superlucros das negociatas do agronegócio, embolsa R$ 20.3354,25. Já Eliseu Padilha, outro fiador da reforma, aposentou-se da Câmara dos Deputados aos 53 anos, em 1999, e embolsa R$ 19.389,60 por mês, mais o salário de ministro. A função de ministro paga nada menos que R$ 30.934,70. E não para por aí. Michel Temer, também ardoroso fiador da proposta, se aposentou aos 55 anos, em 1996, na função de procurador do estado de São Paulo. Ou seja, já se vão 20 anos. Dados do Portal da Transparência do governo do Estado de São Paulo mostram que Temer teve rendimentos brutos de R$ 45.055,99 no mês de junho deste ano, valor bem acima do teto permitido pela Constituição. Isso sem falar nas milionárias propinas.

As cúpulas das centrais sindicais que estão se reunindo com os bandidos Temer, Meirelles, Rodrigo Maia e outros membros da quadrilha instalada no governo estão traindo os trabalhadores e viabilizando o andamento acelerado dos malditos ataques a Previdência Pública. A atitude das cúpulas das centrais sindicais de esvaziar a convocação de manifestações massivas no dia 13 de dezembro em Brasília, dia da votação da PEC 55, é outra traição e demonstração da canalhice e conluio com o governo.

 É traição os encontros e negociação das centrais sindicais com membros do governo e com parlamentares

O pelego presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva, aliado íntimo de Michel Temer, articula negociatas da traidora Força Sindical e outras centrais sindicais para impulsionar o andamento contrarreforma no podre parlamento. Articula encontros com Temer, Meirelles, Rodrigo Maia etc. e faz campanha por uma suposta “reforma previdenciária sem mudanças prejudiciais aos trabalhadores, mas sim que garantam uma transição justa para todos”, ou seja, tem o descaramento de preconizar que o governo de bandidos da quadrilha de Temer poderia fazer uma reforma sem prejudicar os trabalhadores.

Temer e Paulinho são farinha do mesmo saco

Temer e Paulinho são farinha do mesmo saco

 A traidora bajulação de Paulinho e da cúpula da Força Sindical ao bandido Michel Temer

A traidora bajulação de Paulinho e da cúpula da Força Sindical ao bandido Michel Temer

A cúpula traidora da UGT (União Geral dos Trabalhadores) teve o descaramento de receber, na tarde da terça-feira (06/12/16), em sua sede, em São Paulo, os bandidos capachos do FMI, ministro da Fazenda Henrique Meirelles e o secretário da Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano. O objetivo foi para ministrarem a palestra ardilosa: “Situação das contas Públicas para retomar o crescimento com distribuição de renda e justiça social” e dar público e apoio a suas proposições canalhas.

UGT serviu de palco para os vassalos do FMI, Henrique Meirelles e Marcelo Caetano

UGT serviu de palco para os vassalos do FMI, Henrique Meirelles e Marcelo Caetano

O pelegão e traidor Ricardo Patah, presidente da entidade, ainda teve o descaramento de enfatizar que é preciso ampliar o dialogo entre governo e sociedade e que a UGT e muito provavelmente as demais centrais sindicais aceitariam a reforma caso ocorra alterações e o fim de privilégios. Seguindo os passos do presidente traidor, Canindé Pegado, secretário Geral da UGT (União Geral dos Trabalhadores), afirmou que “a Central irá promover ações para mobilizar e conscientizar os trabalhadores, além de ir para dentro do Congresso discutir ponto a ponto e lutar pela modificação de todo e qualquer item que prejudique os trabalhadores brasileiros.” Essa é justamente a estratégia que interessa ao governo, de jogar a discussão no podre e corrupto parlamento e acelerar a contrarreforma.

“Somos contra a proposta da forma como foi apresentada. Iremos fazer uma análise profunda desse texto para apresentar alternativas ao que julgarmos inaceitável. Vamos enfrentar o Congresso e o que for necessário para que os cidadãos não sejam lesados”, disse o pelego Pegado.

Em reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, na tarde da terça-feira (6/12), a cúpula traidora de algumas das centrais sindicais articularam com o corrupto parlamentar os trâmites dentro do Legislativo. Maia sinalizou que neste ano ocorre a votação da admissibilidade da PEC deverá ocorrer e os próximos passos para a tramitação deverá acontecer apenas em março de 2017, após o encerramento do recesso parlamentar.

O corrupto presidente da Câmara, Rodrigo Maia, Paulinho e demais pelegos avalizando o trâmite da contrarreforma no podre parlamento

O corrupto presidente da Câmara, Rodrigo Maia, Paulinho e demais pelegos avalizando o trâmite da contrarreforma no podre parlamento

O pelegão e traidor presidente da CSB, Antonio Neto, que participou do encontro com Maia, teve o desplante de ressaltar que as entidades sindicais terão papel fundamental no debate sobre o projeto no Congresso para supostamente evitar que a reforma inclua retrocessos para os trabalhadores. “Temos que garantir que não ocorram retrocessos, e o debate no Congresso será essencial para isso”, afirmou o traidor presidente da CSB, dando total aval a imoral estratégia do governo.

Reuniões das cúpulas das centrais sindicais favorecem o jogo da quadrilha de Temer de seguir com o andamento das contrarreformas

Reuniões das cúpulas das centrais sindicais favorecem o jogo da quadrilha de Temer de seguir com o andamento das contrarreformas

Unidade de ação para construir e deflagrar a GREVE GERAL

É a partir da forte organização dos trabalhadores nas bases, nos locais de trabalho e moradia, que vai ser possível organizar a revolta latente nos corações dos operários e tornar possível a deflagração de uma vigorosa Greve Geral para enfrentar e derrotar a politica antipovo de Temer e sua quadrilha.

11112941_829668657081912_4670466592468025536_n-e1430777949916

Organizar com vigor a deflagração da GREVE GERAL!!!

Para lutar contra as antioperárias “reformas” da Previdência e todos ataques à Nação e aos direitos do Povo, a Liga Operária propõem um Plano de Unidade de Ação, baseado em:

1 – Atitude de nenhuma negociação e nenhum compromisso com o governo e parlamento podres.

2 – Realização de ampla campanha de denúncia e esclarecimento sobre o lesivo conteúdo destas “reformas”, bem como, de toda política imperialista no país, na América Latina e no mundo.

3 – Preparação da Greve Geral através de iniciativas que liguem o seu apelo e propaganda a ações específicas locais e regionais, tais como, campanhas salariais, atos, passeatas, manifestações de protesto, cortes de rodovias e ocupações de prédios públicos.

4 – Integrar a todas estas atividades a propaganda e divulgação da Luta Pela Terra e apoiar materialmente o movimento de lutas no campo.

Preparar a deflagração de uma vigorosa GREVE GERAL para barrar a Reforma da Previdência e derrotar os ataques do Governo!

Abaixo a conciliação das cúpulas das centrais sindicais traidoras, os conluios palacianos e os ataques aos parcos direitos que os trabalhadores ainda tem!

Fora Temer e sua quadrilha!

LIGA OPERÁRIA

São Paulo, 12/dezembro de 2016.

 

Comments are closed.