PM de Rondônia monta operação de guerra para despejar camponeses sem ordem judicial

jul 22nd, 2016 | By | Category: Aliança Operário-Camponesa, Notícias Recentes

lcp2


Reproduzimos abaixo a nota da Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental denunciando a barbárie arquitetada pelo Polícia Militar do estado de Rondônia contra os camponeses pobres do acampamento Enilson Ribeiro, em Seringueiras (RO). A Liga Operária repudia a barbárie planejada e a violência policial do podre e corrupto Estado burguês-latifundiário e seu gerenciamento fascista de turno Michel Temer-PMDB&corriola.  

A posse da terra têm de ser dos camponeses, a Terra é de Quem Nela Trabalha!

……………………………………………………..

Quarta feira, dia 20-07-2016, tivemos a notícia que foi montada uma operação de guerra para despejar os camponeses do acampamento Enilson Ribeiro em Seringueiras.

Pesquisa no sistema do TJ/RO demonstra que não há qualquer ação de reintegração de posse em desfavor dos camponeses, portanto, não há (até que se prove o contrário) qualquer ordem judicial para despejar as famílias – que mesmo se houvesse, esse não é o procedimento correto.

No entanto, a PM de Rondônia age como uma milícia particular dos latifundiários desde sempre, mas depois que Ênedy assumiu o comando geral a participação de PMs em grupo de extermínio e existência de hordas de pistoleiros nos quadros da PM passou a ser a regra e deixou de ser a exceção. Mesmo sem ordem judicial, há dois helicópteros disponíveis para executar a ação no dia 21/07/2016, incluindo a requisição de atendimento médico e hospitalar dos hospitais públicos de São Miguel Seringueiras, numa clara demonstração de no arrepio da lei se fará enfrentamento armado pelo Estado contra os camponeses. O total de policiais envolvidos nessa operação não foi possível obter, mas, pelo volume de solicitação de medicamentos e atendimento hospitalar percebe-se que há claro interesse de instaurar um ataque violento contra os camponeses. Operação de tal magnitude só é possível com a participação do coronel Ênedy e autorização do governador Confúcio.

Assim se tornou a PM de Ênedy e Confúcio: uma horda de assassinos de pobres na cidade, em bando pistoleiros e seguranças particulares para o latifúndio e facilitadora de fuga para pistoleiros como o sargento Moisés em Cujubim.
Em Rondônia, terras públicas podem ser griladas por latifundiários, policiais podem fazer segurança privada para grandes propriedades, bandos de pistoleiros podem assassinar lideranças e reprimir camponeses, o monopólio da imprensa pode caluniar trabalhadores e chamar bandos armados terroristas de “vigilantes”.

Todos os crimes podem ser praticados contra os camponeses.

Enquanto o governo de Rondônia está tampando com terra os buracos no asfalto da RO 205, ele gasta milhões com operações policiais para reprimir camponeses e proteger a grilagem de terra pelos latifundiários em Rondônia.

Comissão do acampamento Enilson Ribeiro
LCP – Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental

Comments are closed.