Tropa de Dilma-PT sufoca greve de operários de Belo Monte por melhores salários

jul 15th, 2013 | By | Category: Luta combativa

Operários pediam pagamento de deslocamento como hora trabalhada.

Segundo Consórcio Construtor (empreiteiras que financiaram a campanha de Dilma-PT), a paralisação foi sufocada e não afetou obras.

 

Força Nacional reprime paralisação de Trabalhadores de Belo Monte que exigem melhores salários

Força Nacional reprime paralisação de Trabalhadores de Belo Monte que exigem melhores salários

Dezenas de trabalhadores da Usina Hidrelétrica Belo Monte, em Vitória do Xingu, sudeste do Pará, paralisaram as atividades no dia 10/07/2013, reivindicando aumento salarial, além da manutenção do pagamento de horas trabalhadas no período de deslocamento da cidade para os canteiros de obras, e uma compensação equivalente para os trabalhadores que vivem nos alojamentos do canteiro.

O Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), composto por dez grandes empreiteiras que foram as principais financiadoras da campanha de Dilma Rousseff, inicialmente declarou, em nota às 15h que “não foi detectada hoje nenhuma anormalidade nas frentes de trabalho, desde o início da manhã”, mas reconheceu em uma segunda nota enviada após as 19h que que um episódio “fugiu à rotina”. Segundo o CCBM, 40 funcionários se mobilizaram na tentativa de parar uma frente de trabalho mas, sem conseguir sucesso, decidiram deixar o Sítio Belo Monte e retornar para Altamira, município vizinho do local onde a usina está sendo construída.

Ainda de acordo com o CCBM, apesar da manifestação do grupo de trabalhadores, não foi registrado movimento grevista nos três canteiros de obras da hidrelétrica. Segundo o Consórcio, os sítios Belo Monte, Pimental e Canais e Diques funcionaram com capacidade total, e o turno da noite teria iniciado normalmente.

A ação fascista e repressiva da Força Nacional de Dilma Rousseff, que teve a sua permanência dentro do canteiro de obras prorrogada por mais 180 dias, atuou para impedir a legitima greve dos trabalhadores e agiu como cão de guarda dos interesses escusos das empreiteiras que atropelam até a legislação trabalhista surrupiando o pagamento das horas in itinere (período gasto no deslocamento dos operários). A tropa de Dilma age como serviçal dos interesses privados e escusos das grandes empreiteiras da construção e de outros grandes grupos econômicos que atuam na região de Belo Monte.

Fonte: Do G1 PA

Comments are closed.