Consórcio Norte Energia diz que Belo Monte alcançará ponto máximo das obras em 2013

dez 28th, 2012 | By | Category: Internet

10 de Abril de 2012 – Greenpeace faz sobrevoo dos canteiros das obras da Usina Hidreletrica de Belo Monte. Na foto, obras da casa de força, localizada no fim do canal. Foto Marizilda Cruppe/EVE/Greenpeace.

Fonte: artigo de Flávia Oliveira – jornal O Globo – 28/12/2012

 

Hidrelétrica do Rio Xingu terá 28 mil trabalhadores nos canteiros no segundo semestre. Semana que vem, sai o primeiro desembolso do BNDES

A hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA), chega ao fim de 2012 com um quinto das obras concluídas. Levantamento do próprio consórcio construtor mostra que houve interrupção (total ou parcial) em 148 dos 540 dias de trabalho. Só este ano, foram 54 dias parados. Ainda assim, a usina não saiu do cronograma, disse Duílio Diniz de Figueiredo, presidente da Norte Energia, por telefone à coluna: “Vamos entrar na rede básica em fevereiro de 2015″.

Desde o início das obras, em 2011, Belo Monte é alvo de embate que põe, de um lado, investidores e governo; de outro, Ministério Público, entidades do movimento social e comunidades indígenas. Hoje, há 18 mil trabalhadores nos canteiros de Pimentel e Belo Monte, que compõem o projeto. No segundo semestre de 2013, a força de trabalho chegará a 28 mil pessoas, o pico de construção da usina. Quase metade dos operários (45%) vive em Altamira, município a 60 quilômetros de distância.

No biênio 2013-14 será concluído o reassentamento das oito mil famílias afetadas pelo empreendimento. “Ano que vem, será contratada a construção de 4.100 casas. Algumas famílias preferiram indenização em dinheiro”, informou o presidente. Figueiredo, nas próprias palavras, torce para que não haja novas paralisações ou invasões nos canteiros: “Mas não posso desconsiderar a hipótese. Em 2013, teremos uma grande arrancada no projeto”.

O executivo assumiu a companhia em agosto passado. De imediato, encomendou um Plano Básico Ambiental, para compensar aldeias indígenas da área de influência da hidrelétrica: “Temos trabalhado para manter o diálogo com as comunidades. Para o reassentamento, fizemos mais de 50 reuniões. Não posso considerar normais as reações a Belo Monte. Mas entendemos que se trata de uma obra emblemática na região, pela dimensão que tem”, admitiu.

Em fins de novembro, o BNDES aprovou empréstimo de R$ 22,5 bilhões à Norte Energia. Foi o maior aporte já autorizado pelo banco a um único projeto. Os recursos cobrem 80% do investimento total. O primeiro desembolso, de pouco menos de R$ 5 bilhões, deve sair até o fim da semana que vem. O dinheiro, segundo Figueiredo, vai cobrir empréstimos ponte. Belo Monte será a terceira maior hidrelétrica do mundo. Terá 11.233 MW de capacidade instalada.

 

Comments are closed.