2.500 operários da Vale em greve em Itabira – MG

ago 2nd, 2012 | By | Category: Notícias Recentes

Cerca de 2500 operários das empresas Enesa e Barbosa Melo (contratadas pela Vale) que trabalham na Mina Conceição, em Itabira, estão em greve em desde o dia 30 de julho reivindicando melhores condições de trabalho, planos de saúde e aumento salarial.

Esses operários, assim como a grande maioria dos operários em todo o país são submetidos a jornadas extenuantes de trabalho, falta de equipamentos de segurança, baixos salários, alimentação e alojamentos precários e quando revoltados, lutam por  seus direitos e melhores condições de vida são reprimidos e tratados como “vândalos”.

No dia 27 de julho, em um ato de revolta, o operário Emerson colocou a sua própria vida em risco, subindo a uma altura de 50 metros em uma viga para exigir respeito, melhores condições de trabalho e melhores salários. Emerson se manteve irredutível a todas tentativas de negociação e só aceitou descer depois que todos os trabalhadores assumiram o compromisso de paralisar os trabalhos.

Com o objetivo de impedir qualquer forma de protesto dos trabalhadores, um grande aparato de repressão se deslocou para a portaria da Mina Conceição e também para o alojamento do Antigo Clube Real, localizado as margens da AMG-900. Dias antes da deflagração da greve, a polícia militar já fazia movimentações no interior da mina e nos alojamentos para reprimir os trabalhadores que já se mobilizavam contra as péssimas condições de trabalho.

Seguindo sempre a mesma prática repressora e pró-patronal adotada pelo governo Dilma (PT) em todas as greves no país, a Juíza Wanessa Mendes de Araújo deferiu na Justiça do trabalho, uma liminar em favor da Vale. De acordo com a liminar, os grevistas ficam impedidos de fechar as vias e impedir a entrada e saída de veículos no acesso às minas da Vale em Itabira; também ficam proibidos de protestar no interior das minas ou próximo dos equipamentos da mineradora, bem como próximo do alojamento. Ainda foi estipulada uma multa diária de mil reais ao sindicato que representa a categoria em caso de descumprimento dessas imposições.

As ameaças, a brutal repressão, multas e retaliações adotada pelos governos federal, estaduais e municipais e pelas grandes empreiteiras e grupos capitalistas, esses sim são verdadeiros crimes. Repudiamos a repressão e o desrespeito aos direitos trabalhistas dos trabalhadores da Vale em Itabira. Toda forma de luta contra opressão e exploração a que são submetidos os trabalhadores é legítima e justa.

Comments are closed.